Sabemos que o litoral catarinense apresenta uma riqueza de vida animal e vegetal, e de saberes e culturas das comunidades tradicionais. Uma porção deste território está inserido em uma unidade de conservação federal de uso sustentável, a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca / ICMBio. A APA da Baleia Franca foi criada no ano de 2000 com o objetivo fundamental de proteger a principal área de ocorrência de baleias francas no Brasil.

Fotos e mapa da APABF
Fotos de enseadas e praias dentro da APABF e mapa com o limite da mesma. Fonte: ICMBIO

A baleia franca (Eubalaena australis) é um mamífero marinho que realiza migrações sazonais entre áreas de alimentação e reprodução, ou seja, durante o verão se alimentam na região antártica e durante o inverno frequentam águas mais quentes, como as águas do sul do Brasil, para o acasalamento e também para parir e amamentar seus filhotes, sendo considerada então uma área reprodutiva da espécie.

Baleia Franca

Estes animais apresentam o comportamento de se aproximarem bastante da costa durante o período reprodutivo, diferente de outras grandes baleias, o que fez com que esta espécie fosse alvo de caça por quase 400 anos. Desde 1982 as baleias francas vem reocupando as áreas de concentração no litoral sul do Brasil.
A costa catarinense é formada por enseadas bastante recortadas e dotadas de plataformas naturais, como os costões rochosos e dunas, perfeitas para a observação de baleias francas por terra.

O período em que frequentam nosso litoral é de julho a novembro, podendo haver alguns registros anteriores a este período. Os pares de fêmeas com filhotes costumam permanecer por semanas na região e até mesmo na mesma praia, próximos da costa, em que se deslocam lentamente e exibem comportamentos exuberantes para nossos olhos.

As interações entre fêmeas e seus filhotes costumam ser acompanhadas de contato corporal entre os indivíduos, além de exposições de nadadeiras peitorais e caudais, exposições de cabeça e saltos. Os grupos de adultos permanecem por período inferior na região, um pouco mais afastados da costa, com deslocamento mais rápido, exibindo comportamentos igualmente exuberantes de socialização e acasalamento.

Para identificar uma baleia franca vale ter em mente as seguintes características: corpo negro com manchas brancas irregulares na barriga, calosidades/verrugas na cabeça, nadadeira peitoral em forma de trapézio, cauda larga e pontiaguda e ausência de nadadeira dorsal. O borrifo das baleias francas, ou seja, o vapor formado pelo ar expelido dos pulmões em contato com a água, apresenta formato de “V”, sendo melhor observado em dias frios.

Lembre-se que por serem animais de grande porte que frequentam a zona logo após a arrebentação das ondas, podem algumas vezes dar a falsa impressão de que estão encalhadas, quando na verdade podem estar apenas interagindo com seus filhotes, descansando ou se deslocando lentamente.

 Texto/Autora: Audrey Amorim Corrêa